O QUE MUDA NOSSO PLANETA É CONSCIÊNCIA.
O QUE CRIA CONSCIÊNCIA É EDUCAÇÃO.
O QUE PERMITE EDUCAÇÃO É A LIBERDADE.

**************************************************

Sites de notícias ambientais:

*
O ECO
*
BLOG DO PLANETA
*
ENVOLVERDE
*
PORTAL DO MEIO AMBIENTE
*
ECOPRESS
*
ECOTERRA BRASIL
*
AMBIENTE BRASIL
* AMBIENTE ENERGIA
* ECOPLANET


em vídeo e áudio:

* MUNDO SUSTENTÁVEL (com André Trigueiro)


na rádio (e site):

* PINTOU LIMPEZA (Eldorado FM)






4 de jun de 2009

Bolas de Sementes - aprenda a fazer

.



A ilustração, o vídeo no final e o poema vieram do blog Guerrilheiros dos Jardins,  
e o texto que segue veio do site A Boa Terra.




clique na imagem para ampliar e ler o procedimento


Em seu livro “A revolução da palha”, o japonês Masanobu Fukuoka explica o seu modo pioneiro em “plantio direto”, isto é, plantar sem preparar a terra. Para esta forma de semear, ele inventou os “seed balls”, ou seja, bolas de sementes: misturava húmus de minhoca ou um adubo, chamado composto, com argila que antes era seca, triturada e peneirada. Acrescentava as sementes de arroz ou centeio e finalmente água o suficiente para fazer uma massa igual à de pão. Com essa massa, ele formava as bolas de sementes com um diâmetro de mais ou menos 2 cm, que eram jogadas sobre a terra e cobertas com palha de arroz ou centeio. Com a chuva, as bolas começam a derreter devagarzinho e com a ajuda do adubo e a sombra a germinação começa.

Depois dele, outras pessoas começaram a experimentar esta técnica com outras sementes, dependendo do objetivo. Se o objetivo é atrair pássaros, podem-se comprar sementes como: painço, sorgo, níger, nabo, colza, alpiste, linhaça, senha e um pouco de semente de girassol que é bem mais grossa. Podem ser usadas também sementes frutíferas obtida dos mamões e papaias, goiaba, pitanga, acerola etc. Basta tirar as sementes, lavar e secar bem sobre um jornal na sombra. As bolas podem ser jogadas em lugares com baixa vegetação ou lugares desertos sem plantas. Nesse caso, devem-se cobrir as bolas com palha, folhas, galhos etc. Podem-se formar seedballs de sementes de árvores também. Existem sementes de árvores nativas que atraem pássaros. No livro “Árvores Brasileiras”, de Harri Lorenzi, existem mais de 60 espécies listadas nas primeiras páginas.

Se você quer recuperar um terreno ou barranco degradado de onde foi tirada a terra fértil deixando o subsolo exposto, a escolha de sementes pode ser diferente. Escolha sementes como guandu, que tem raiz pivotante, mamona, crotolária, soja perene, mucuna preta, mileto, nabo forrageiro, aveia preta etc. As bolas devem ser maiores por causa do tamanho das sementes. Se o terreno não tem vegetação, as bolas devem ser cobertas de palha, folhas ou outro tipo de mulch (cobertura). Para terrenos muito degradados, ajuda extra de fosfato é aconselhável.

Em lugares com muito espaço para árvores nativas, podemos incluir sementes pioneiras que irão dar sombra para as árvores secundárias nascerem depois. Essas técnicas de introduzir a mata nativa também estão muito bem explicadas no livro de Harri Lorenzi. Se quiser assistir a um vídeo que mostra a fabricação dos “seed balls” , clique aqui.

Quem sabe mais gente se anima em se tornar um semeador e envolver crianças nessa experiência. Boa sorte!


* mais informações sobre Masanobu Fukuoka: 

clique AQUI.




A Flor e a Náusea

(Carlos Drummond de Andrade)


".....Uma flor nasceu na rua!

Passem de longe, bondes, ônibus, rio de aço do tráfego.

Uma flor ainda desbotada

ilude a polícia, rompe o asfalto.

Façam completo silêncio, paralisem os negócios,

garanto que uma flor nasceu. 

Sua cor não se percebe.

Suas pétalas não se abrem.

Seu nome não está nos livros.

É feia. Mas é realmente uma flor. 

Sento-me no chão da capital do país às cinco horas da tarde

e lentamente passo a mão nessa forma insegura.

Do lado das montanhas, nuvens maciças avolumam-se.

Pequenos pontos brancos movem-se no mar, galinhas em pânico.

É feia.

Mas é uma flor.

Furou o asfalto, o tédio, o nojo e o ódio."

.