O QUE MUDA NOSSO PLANETA É CONSCIÊNCIA.
O QUE CRIA CONSCIÊNCIA É EDUCAÇÃO.
O QUE PERMITE EDUCAÇÃO É A LIBERDADE.

**************************************************

Sites de notícias ambientais:

*
O ECO
*
BLOG DO PLANETA
*
ENVOLVERDE
*
PORTAL DO MEIO AMBIENTE
*
ECOPRESS
*
ECOTERRA BRASIL
*
AMBIENTE BRASIL
* AMBIENTE ENERGIA
* ECOPLANET


em vídeo e áudio:

* MUNDO SUSTENTÁVEL (com André Trigueiro)


na rádio (e site):

* PINTOU LIMPEZA (Eldorado FM)






9 de nov de 2008

Tintas ecológicas e artesanais

Tintas naturais são opções mais saudáveis

Produtos à base de terra ou de minerais não têm elementos nocivos, como COVs

Pintura com cal deixa a parede respirar e pode eliminar problemas com umidade

BRUNA MARTINS FONTES
EDITORA-ASSISTENTE DE CONSTRUÇÃO E IMÓVEIS

Thaís Parolin/Folha Imagem
Três casas de vila pintadas com tinta à base de terra, da Primamatéria
Três casas de vila pintadas com tinta à base de terra, da Primamatéria

Quando se fala em tinta feita com ingredientes como terra e cal, muitos acham que deve ser coisa de “natureba”: ótimo para uma casa no meio do mato, mas que não serve para a da cidade.

Não é essa a opinião de quem já testou as tintas em solo metropolitano. “Não teve problema nenhum. Foi fácil de aplicar e pode chover e lavar com mangueira que a cor e a tinta não saem da parede de jeito nenhum”, entusiasma-se a administradora Maria Helena Marcelino da Silva, 42.

Ela revestiu de tinta de terra, fabricada pela Primamatéria, a fachada das seis casas da vila que construiu -uma de cada cor.

“Usei em um muro com muita umidade. Apliquei a tinta à base de cal com rolo, ficou bem homogêneo, teve bom rendimento e, como a parede consegue respirar [absorver e liberar vapor de água], não tive problemas”, conta o engenheiro Young Kim, 45, que usou a Ecotinta Mineral do Espaço Casa Ecológica.

Longe de serem feitas experimentalmente, as tintas elaboradas pelo Espaço Casa Ecológica e pela Primamatéria após muita pesquisa são as primeiras no país a serem formuladas sem compostos orgânicos voláteis, metais pesados e derivados de petróleo.

Lá fora, tintas que trocam esses componentes por minerais e terra não são novidade. Fabricantes como a italiana I Colori della Terra (www.icoloridellaterra.net) e a alemã Biofa (www.biofa.de) fabricam produtos assim há anos.

“O uso da argila está voltando à construção na Europa. Uma de suas boas qualidades é a de purificar o ambiente, pois ela filtra o ar que absorve. Além disso, ela não precisa ser cozida, o que elimina o consumo de energia na produção”, comenta o arquiteto Gualberto Cappi, proprietário da I Colori della Terra.

“A terra é o coração da tinta. Dá boa cobertura, serve como aglutinante, pigmento e estrutura”, elogia a arquiteta Letícia Achcar, que elabora a tinta da Primamatéria.

Mais saudável

A cal, presente nas tintas minerais, traz o benefício de deixar a parede “respirar”, um antídoto contra problemas de umidade.

Ela permite que as paredes absorvam e liberem vapor d’água, o que ajuda a regular o nível de umidade. “Por isso serve como boa proteção em paredes expostas a intempéries e maresia, além de a cal ser um fungicida natural”, acrescenta Márcio Araújo, consultor do Idhea e formulador da Ecotinta Mineral.

“Quando a umidade vem de dentro da parede, as tintas minerais têm ótima performance para evitar bolhas e manchas, porque deixam a superfície permeável ao vapor d’água”, concorda Arthur Gil Moraes Filho, gerente da área de pesquisa e desenvolvimento da fabricante de tintas Lukscolor.

“Se a matéria-prima é boa, uma tinta à base de cal pode ter tanta qualidade quanto uma látex. Já testamos algumas que tiveram resistência a mais de 10 mil ciclos [esfregadelas]“, ratifica Josias Marcelino da Silva, do laboratório de revestimentos do IPT (Instituto de Pesquisas Tecnológicas do Estado de São Paulo).

O único senão da Ecotinta Mineral é que não pode ser aplicada sobre massa acrílica nem sobre massa-corrida, porque não adere a esses materiais. “Também só pode ser lavada três meses depois de aplicada”, acrescenta Araújo, do Idhea.

Mas não precisa necessariamente ser branca. A Ecotinta Mineral (R$ 95, 18 l) tem cores como vermelho, preto e amarelo.

Aplicação sem problema

A formulação dessas tintas pode ser diferente da das que se encontram nas prateleiras das lojas, mas seus atributos na hora da aplicação e o desempenho na parede são semelhantes.

Quem já aplicou aprovou tanto o rendimento como a cobertura. “Se eu não contasse para o pintor, ele nem desconfiaria que a tinta era mineral”, brinca Kim.

Ao contrário da Ecotinta Mineral, a tinta de terra e a Ecotinta Plus podem ser usadas para a repintura, mas vedam a parede, mesmo que em graus mínimos. “Adere até a ferro”, diz a arquiteta Ivone Rocha, da Primamatéria, sobre a de terra. “Pode ser aplicada sobre látex.”

Fonte: http://www1.folha.uol.com.br/folha/especial/2005/casasustentavel/fj2711200505.shtml

***************************************************

Tinta

A tinta é um líquido com pigmentos coloridos e aglutinantes solventes ou aditivos, capaz de se converter em uma membrana sólida e fina ao ser aplicada sobre superfícies como metal, madeira, pedra, papel, tecido, couro, plástico, entre outras. As tintas podem ser à base de água, óleo, betuminosas ou plásticas, e precisam de aglutinantes, que são substâncias que servem para ajudar na mistura e deixar a tinta colorida.
Aglutinante

O aglutinante funciona como uma cola, unindo as partículas dos pigmentos. Alguns exemplos são as resinas de árvores, a gema de ovo, o alho e até a cola plástica. Nas tintas à base de água, o aglutinante é solúvel em água, como o amido e a gelatina.As tintas prontas, como o guache, a aquarela e a cal, apresentam uma reação com o carbono do ar e se auto-aglutinam sem que nós percebamos visualmente. Nas tintas a óleo, o aglutinante é um óleo secativo, que pode ser de linhaça, de nozes, de papoula.As tintas plásticas têm aglutinantes sintéticos e são mais duradouras e resistentes.
Pigmento

O pigmento é uma substância composta de partículas microscópicas coloridas que são misturadas à tinta de acordo com o gosto do artista. Ele não se mistura com o aglutinante e por isso tinge a tinta.Os pigmentos podem ser brancos, pretos ou coloridos. Alguns brancos: alvaiade, óxido de zinco, sulfeto de zinco.Alguns coloridos: zarcão (vermelho), cromo (amarelo), ferro (azul). O pigmento preto geralmente é o carbono elementar.Pigmentos e corantes podem ser extraídos dos reinos mineral, vegetal ou animal. O pigmento tem uma ação mais superficial, colorindo a superfície da tela. Os corantes penetram nas fibras dos tecidos da tela. O pau-brasil e o urucum, utilizados por nossos indígenas, são corantes vegetais.

Como achar pigmentos

A terra é um pigmento mineral que pode nos oferecer vários tons de cores. Existe uma grande variedade de terra: mais fina, mais grossa, com diversas tonalidades. Ao utilizar terra em uma atividade, deve-se observar se ela está soltando muita poeira. Para verificar isso pode-se envolvê-la com um pano para, em seguida, bater nele com um sapato ou martelo. Pode-se também peneirar a terra, deixando-a sem grãos nem sujeira.Quando for utilizar a terra como pigmento, você deve decantá-la. Coloque a terra recolhida em uma vasilha com água e espere um dia: os grãos mais pesados irão para o fundo, enquanto os mais leves ficarão na superfície. Recolha esses grãos por camadas, colocando-os para secar em um prato. Eles servirão como pigmentos para colorir a tinta. Folhas, raízes, flores e cascas são corantes vegetais, que devem ser fervidos em água por cerca de 50 minutos. Deixando-os esfriar, pode-se verificar que o líquido obtido é capaz de manchar uma superfície. Alguns exemplos:Amarelo ou laranja: casca de cebola, cravo-de-defunto, girassol.Vermelho: serragem vermelha, jabuticaba, casca de nogueira.Verde: folhas de cenoura, erva-mate, loureiro.Preto: carvão.Importante: Existem plantas perigosas cujo manuseio deve ser evitado. Consulte sempre um especialista ou botânico. Ossos triturados, conchas e cascas de ovos também servem como pigmentos retirados do reino animal.

Receitas caseiras para fazer tintas

1) Guache: Ingredientes: 100 g de pó de pintor; 30 g de glicerina; 60 g de goma arábica. Modo de fazer: Misturar tudo e passar três vezes por peneira fina. Cozinhar em banho-maria, mexendo sempre. Guardar em vasilha de vidro. Ao usar, dissolver em água para obter melhor rendimento.
2) Anilina Ingredientes: Pó de pintor a gosto; uma colher de chá de gesso; uma colher de sopa de goma arábica; água suficiente para dissolver. Modo de fazer: Misture tudo. Quanto mais goma arábica for colocada, mais brilhante ficará a anilina. Colocar em vidros fechados.
3) Outra receita Ingredientes: Uma folha de papel de seda de cor viva; uma colher de sopa de álcool; uma xícara de café de água. Modo de fazer: Misturar tudo e deixar em fusão por dois dias. Guardar em vidro fechado.
4) Massa para pintura a dedoIngredientes: Uma xícara de polvilho ou trigo; uma xícara e meia de água fria; duas xícaras de água fervente; uma xícara de sabão em pó; uma colher de desinfetante líquido, de preferência Lysoform; uma colher de sopa de glicerina; qualquer corante.Modo de fazer: Dissolver o polvilho (ou trigo) em água fria, adicionar aos poucos a água fervente, mexendo rapidamente para não encaroçar. Levar ao fogo, mexendo sempre. Quando estiver na consistência de mingau, retirar e deixar esfriar.Adicionar o sabão enquanto o mingau estiver morno, em seguida a glicerina, o desinfetante Lysoform e o corante, se quiser que a massa fique colorida. Conservar em lugar fresco.

A têmpera-ovo-Um pouco de história

A têmpera é a tinta mais antiga que conhecemos. Os artistas pré-históricos do Período Paleolítico faziam misturas com água e pigmentos naturais, como óxidos minerais, carvão, vegetais, sangue de animais e ossos carbonizados, que costumavam ser misturados na gordura de animais mortos. Na Antiguidade, na Idade Média e no Renascimento italiano, a têmpera-ovo foi muito utilizada pelos artistas na produção de iluminuras medievais e pinturas sobre suportes de madeira.

Como fazer:

Na têmpera-ovo, o aglutinante é a gema, que é preparada da seguinte forma: separa-se a gema da clara do ovo, colocando-a em um copo com fungicida e misturando-a bem com uma colher. Ao misturar água, pigmento e esse aglutinante, você vai obter uma tinta mais transparente - como a aquarela. Se quiser uma tinta mais espessa - como o guache -, adicione talco, giz ou carbonato de cálcio.

Referências bibliográficas-
outubro/98. FERREIRA, Idalina L. e CALDAS, Sarah P. Souza , Atividades na Pré-Escola, reformulada, 18a edição, Editora Saraiva, 1999.

Fonte: http://professoramara.blogspot.com/

***********************************************

Outro LINK para produção artesanal de tinta:

http://www.arteeducar.com/comofazer/cftinta/index04c.htm

*******************************************************

* OUTRAS DICAS do pessoal da Comunidade Permacultura no Orkut (Suzana, Daniel e Neco) -

http://www.orkut.com/CommMsgs.aspx?cmm=111403&tid=2527510882009426269

Tintas = liquido com cor + fixador + impermeabilizante…
Então, tudo depende do que tem como base…
Terra + cal + óleo
baba de cacto + terra + água = tinta natural ( numa proporção 1 de baba de cacto para 15 de água)
Pode usar o pó xadrez para dar cores, ou terra, plantas maceradas, etc.
Mas cuidado, se houver outra tinta por baixo a coisa pode “não colar”…(Suzana)

Pó Xadrez = pigmento que se compra em lojas de materias de construção, atóxico, pode-se usar sem problemas… Tem de várias cores….
Terra- aquela ali mesmo… Cave e vais ver que tens cores distintas e numa enorme variedade… Não use a primeira camadinha… Ela contém muita matéria orgânica o que pode prejudicar a fixação, etc, etc…
Baba de cacto= pegue um pedaço de um cacto, pique em pedaços mais ou menos de uns 10 por 10 cm, ou algo assim… Coloque num balde com água e misture… Dê uma volta, deixe de um dia pra outro, misture de vez em quando… Depois de umas 24h coe e tcharammmmmmmmmmmmmmm: ai está tua calda de baba de cacto!
Experimente… o permacultor é um cara metido a experimetar e observe; isto deu certo, isto não… quem sabe se eu fizer assim????
Ouse!
(Suzana)

Tinta caseira
Excelente a receita da Suzana! Eu estou justamente pintando minha casa com uma receitinha que põe cola de alvenaria (Polyfix) no lugar da baba de cactus, pelo menos pra mim, difícil de se obter em quantidade suficiente. Vai uma porção de cola pra doze de terra peneirada e umas vinte de água, ou até dar o ponto. Tentei aplicar a mistura com o rolo, mas ele não leva bem a carga (a terra) então usei uma trincha grande, que funcionou muito bem. Depois de pintada uma parte, já choveu em cima e a pintura ficou inteira.
Quanto à ‘pega’ na tinta de baixo, normalmente é bom raspar e lixar primeiro. A terra usada deve ser mineral, mais pra argilosa, sem matéria orgânica. No interior da casa, apliquei cera pastosa sobre a tinta e lustrei. O resultado é lindo!
A cola de alvenaria, acetato de polivinila, é atóxica, de fabricação pouco poluente, e substitui o fixador e o impermeabilizante. (Daniel)

Verniz ecológico

A receita é do Sr Hans Nicolais da API-SILVESTRE LTDA.

Eu costumo usar esse verniz nas caixas de abelhas nativas que eu tenho. Elas ficam no tempo e o verniz da uma ótima proteção para as mesmas. Uso também em batendes de porta e em umas janelas, ficam ótimos com ele. Ai vai:

Verniz Ecológico:

Ingredientes:
- 1 kg de própolis bruto de qualidade inferior (sujo e/ou com cera)
- 1 lt de óleo vegetal (linhaça, soja ou girassol)
- 8 kg de metanol

Preparação:
Todos os ingredientes são colocados dentro de um balde ou tambor. Fechar hermeticamente e estocar por 30 dias. O conteúdo dever ser mexido 2 X ao dia. Após 30 dias coar o líquido por meio de uma meia de nylon.

O resultado é um verniz marrom que protege a madeira contra insetos, fungos e a influência do tempo, com um custo-benefício sem igual.

Aplique duas vezes em um intervalo de poucos dias. A pintura deve ser renovada com um pincel grande a cada dois ou três anos, dependendo da região em que se encontram.

O verniz é totalmente inofensivo, não é tóxico e não agride nosso meio ambiente. Pode ser usado também para a pintura de móveis, cercas, etc. (Neco)