O QUE MUDA NOSSO PLANETA É CONSCIÊNCIA.
O QUE CRIA CONSCIÊNCIA É EDUCAÇÃO.
O QUE PERMITE EDUCAÇÃO É A LIBERDADE.

**************************************************

Sites de notícias ambientais:

*
O ECO
*
BLOG DO PLANETA
*
ENVOLVERDE
*
PORTAL DO MEIO AMBIENTE
*
ECOPRESS
*
ECOTERRA BRASIL
*
AMBIENTE BRASIL
* AMBIENTE ENERGIA
* ECOPLANET


em vídeo e áudio:

* MUNDO SUSTENTÁVEL (com André Trigueiro)


na rádio (e site):

* PINTOU LIMPEZA (Eldorado FM)






9 de nov de 2008

Geladeira natural para vegetais

GELADEIRA SEM ELETRICIDADE

Faça Você Mesmo

    não requer eletricidade;não usa CFC (gás que destrói a camada de ozônio);verduras se mantém frescas por mais tempo;não contamina os alimentos com resíduos oriundos de peças plástica
    s, como nas geladeiras comuns;menor custo ambiental de produção e de
    manutenção.

Este artefato pode ser construído das mais variadas maneiras e com os mais variados materiais - não possui uma solução única e restrita, como as encontradas nas lojas. Logo, as soluções deverão ser adaptadas aos contextos específicos em que se encontram. Abaixo segue um esboço dos principais aspectos a serem levados em conta.

Escolha do local:

A geladeira procura aproveitar a baixa temperatura do ar e da água em locais bastante sombreados, próximos a áreas naturais que possuam água em abundância. Um bom local pode ser, por exemplo, na margem de um riacho, ou lagoa, sob densa copa de árvores. É recomendável que não vente muito no local, e não haja lixo depositado nas proximidades.

Construção:

Quanto às dimensões d

a geladeira, tenha em mente que quanto maior o volume interno, mais estável será a temperatura. É bom que haja bastante espaço vazio, pelo menos uns dois terços do volume total.

A forma cúbica é adequada para a geladeira - é prática para construir e proporciona boa relação entre volume e gasto de material. Uma forma melhor seria a cilíndrica, mas sua construção é mais difícil.

O buraco:

Os alimentos a serem conservados poderão ser acondicionados dentro de vasilhas (formas, bacias, potes, etc) que ficarão boiando sobre a água que verte do buraco da geladeira. Sendo assim, é interessante que o buraco tenha uma profundidade suficiente para verter água, mas não pode ser tão profundo que impossibilite o manuseio do conteúdo. A geladeira funciona, também, se não houver água, mas o rendimento fica um pouco reduzido.

O fundo do buraco pode ser preenchido com pedrinhas, ou tijolos, para que os potes não fiquem demasiadamente sujos de lama.


Mureta:

Deve ser construída uma mureta em torno do buraco para evitar a entrada de água da chuva, e de outros materiais. Também é útil para aumentar o volume interno da geladeira. Pode ser construída com barro, pedras, ou tijolos. É importante evitar que hajam orifícios por onde animais, ou ar, possam passar. A vedação dos furos pode ser feita com argila (barro molhado).

Orifício de ventilação:

Para permitir que o ar quente do interior da geladeira saia, é útil que se faça um orifício lateral, próximo ao topo da m

ureta. Esse orifício deverá ser coberto por uma tela (ou galhos, redes plásticas, etc) para evitar a entrada de insetos e de outros animais. O suporte da tela, no topo, pode ser feito com um graveto, a tela pode ser amarrada nele com barbante. Argila pode fixar as bordas inferior e laterais da tela.

Tampa:

Sobre a mureta será apoiada uma tampa que poderá ser uma tampa de caixa d’água, uma placa de metal, ou uma prancha de madeira. Afim de garantir um bom encaixe da tampa com a mureta e com o suporte da tela, é conveniente elevar uniformemente o topo da mureta com argila.

Para evitar que a tampa seja removida pelo vento ou por algum animal, convêm colocar algum peso em cima - pedras, etc.

Observações:

Se as vasilhas utilizadas para acondicionar os alimentos forem de plástico, então é aconselhável forrá-las com um pano.

As vasilhas podem ser cobertas com um pano fino para evitar que caiam folhas e terra dentro.

Evite que se acumule matéria orgânica (como folhas e galhos) no fundo do buraco.

Essa geladeira é recomendada para vegetais (frutas e verduras), porém é inadequada para produtos de origem animal (leite, carne, ovos, etc) e seus derivados.

Conclusões de algumas experiências:

A temperatura média, durante o dia, se mantém próxima à temperatura registrada na manhã, com pequena variação, mesmo nos dias mais quentes de verão. A pouca incidência de insetos, e a ausência de larvas de mosquito na água, comprova a eficiência da vedação com barro e tela.

Em geral as verduras não murcham. Raízes como cenoura e beterraba podem ser guardadas por mais de três semanas, sem se decompor.

Em caso de dúvida, ou desejando fazer alguma sugestão, trocar alguma idéia, etc, entre em contato:


olintorf_1999@yahoo.com